Quinta-feira, 9 de março de 2017 às 15:14 em Litoral Paulista
Município aciona Ministério Público contra furtos em prédios municipais

 

Foram registradas 17 ocorrências desde o início do ano

 

 

 

   Dezessete equipamentos públicos de Guarujá foram alvos de marginais desde o início do ano. Uma média de um furto ou roubo a cada quatro dias, situação que se intensificou depois do término da Operação Verão.

 

   A frequência e as características dessas ações, que afetam especialmente equipamentos que atendem pessoas mais carentes, está levando o Município a acionar o Ministério Público devido à suspeita de que grupos criminosos estejam por trás dessas ocorrências.

 

  O advogado Geral do Município, André Figueiras Noschese Guerato, está protocolizando junto à Promotoria de Justiça Criminal de Guarujá e ao Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) um ofício solicitando a apuração desses fatos. “Esses atos fugiram completamente à normalidade”, afirma Guerato.

 

  Os últimos episódios ocorreram na madrugada de terça-feira (7), quando bandidos invadiram dois importantes equipamentos municipais: o Centro de Atividades Esportivas e Comunitárias (Caec) Isabel Ortega, no bairro Santa Rosa, e o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) Enseada.

 

  Do Caec, levaram um notebook, duas máquinas de costura e um aparelho de som. Gavetas também foram quebradas. Já do CRAS Enseada foram furtados três ventiladores, dois aparelhos de ar-condicionado e arrombaram duas portas, tudo no almoxarifado do local.

 

 

 

Mas o pior episódio ocorreu dois dias antes, na madrugada de domingo (5), quando os marginais arrombaram portões e janelas da Casa de Atendimento Integrado (CAI), no Centro do Guarujá, e levaram cinco ventiladores, cinco notebooks, 12 CPUs, dois nobreaks, 16 monitores, 11 estabilizadores, 10 teclados, uma TV e 25 cadeiras.

 

  Eles levaram equipamentos fundamentais no atendimento do Cadastro Único, que abrange 18 programas sociais, dentre eles o Bolsa Família. O atendimento está interrompido por tempo indeterminado.

 

  O prefeito Válter Suman está exigindo rigor na apuração desses fatos. “Nossa cidade está sob uma ação de ‘terrorismo’ contra equipamentos públicos que atendem nossa população mais carente e necessitada. Todas as ações policiais estão sendo tomadas para elucidar esses vandalismos”, declarou ele em sua página no Facebook.

 

   Paralelamente, o prefeito esteve terça-feira (8) em São Paulo para tratar de diversos assuntos com o secretário de Estado da Casa Civil, Samuel Moreira, e solicitou a ele o fortalecimento da segurança na Cidade.

 

  Prédios públicos alvos de marginais

 

 

 

2/1 - FURTO de alimentos que seriam doados ao Fundo Social de Solidariedade

 

9/1 - FURTO no Creas Pop

 

20/1 - FURTO na Regional Vila Alice

 

27/1 - ROUBO no Centro de Capacitação

 

29/1 - ROUBO à equipe da dengue no Pae Cará

 

30/1 - ROUBO equipe da Dengue na Prainha (Vic de Carvalho)

 

1/2 - ROUBO a motorista do SIAD no Bairro Pae Cará (em serviço)

 

5/2 - FURTO da escola de governo

 

7/2 - FURTO da escola de governo

 

7/2 - FURTO na diretoria de segurança alimentar

 

9/2 - FURTO no departamento de vale transporte

 

22/2 - ROUBO equipe da dengue no Pae Cará

 

5/3 - FURTO no CAI

 

6/3 - FURTO Centro de Capacitação (Vic. de Carvalho)

 

6/3 - FURTO UPA Jd boa esperança (Vic de Carvalho)

 

7/3 - FURTO CAEC Santa Rosa ( Isabel Ortega)

 

7/3 - FURTO CRAS ENSEADA

 

 

 

 

Fonte: PREFEITURA DE GUARUJÁ – Assessoria de Imprensa e Comunicação

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!