Em busca de irmão brasileiro, sueca mobiliza a internet
02/09/2017 18:17 em Litoral Paulista

 

Jessica Johansson mora na Alemanha e quer encontrar irmão que nasceu em Santos

 

Uma sueca de 42 anos está mobilizando a internet para tentar localizar um meio-irmão nascido em Santos. Jessica Johansson, que é gerente de uma empresa de logística na Alemanha, conta que já buscava por informações do parente há alguns anos, mas depois de investidas fracassadas, foi encorajada a publicar um pedido de ajuda no Facebook. Em pouco tempo, o post da sueca já havia viralizado e segundo ela, mesmo ainda sem pistas sobre o paradeiro do brasileiro, muitos já se mostraram dispostos a ajudá-la. 

Em entrevista ela contou que o pai, o sueco Karl-Erik Johansson, era tripulante de um navio-cargueiro e conheceu a mãe do meio-irmão brasileiro durante uma de suas viagens a Santos. 

“Pelo que entendi, meu pai nunca conheceu o menino. O que sei é que ele nasceu em Santos, em 1969. Seu nome é Carl [Karl] e deve ter o sobrenome do meu pai, Johansson. Sobre a mãe dele, o que sei é que pode ser Ana ou Maria”. 

Karl-Erik morreu em 2004 e, segundo Jessica, deixou, além dela e do brasileiro, outros dois filhos suecos. Segundo ela, o pai só contou da existência do meio-irmão quando deixou de trabalhar em navios. “Aparentemente, eles tiveram um relacionamento por algum tempo, nessas idas e vindas dele ao Brasil. Mas, em determinado momento, meu pai decidiu assumir um relacionamento com a minha mãe e queimou todas as cartas que recebeu da mãe do filho de Santos. Então, não há pistas por escrito”. 

A sueca conta que chegou a procurá-lo por conta própria, mas não encontrou informação sobre o seu paradeiro. “Tentei encontrar informações sobre ele, mas não cheguei a lugar algum. Na verdade, eu não sabia direito quem deveria procurar no Brasil. Falei com a Igreja Escandinava e com alguns amigos do meu pai, mas ninguém sabia de nada. Fiquei presa porque não consegui encontrar mais informações”.

Karl, pai da sueca, na época em que era marinheiro
(Foto: Arquivo Pessoal)

Apoio dos brasileiros 

Após conhecer histórias de outras pessoas que reencontraram parentes com a ajuda da internet, Jessica decidiu apostar na alternativa. “Eu li sobre todos aqueles que conseguiram encontrar pessoas pelo Facebook, então, semana passada, decidi tentar. Algumas pessoas me disseram que não vou chegar longe, mas pela rede social encontrei muitos brasileiros dispostos a me ajudar”. 

Até sexta-feira (1º), a sueca ainda não tinha pistas do paradeiro do irmão brasileiro. “Estou com os dedos cruzados. Penso que essa pode ser minha única esperança. Parece impossível, mas estou tentando”, comenta, entusiasmada. 

Para auxiliar nas buscas pelo meio-irmão, Jessica divulgou à Reportagem uma imagem do pai ainda jovem. “A foto foi tirada mais ou menos naquela época (em que o filho santista nasceu). Ele era alguém impossível de passar despercebido. Tinha quase 2 metros de altura e era bastante extrovertido”.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!